21 de ago de 2009

Ave Rybka !


Durante o Continental eu tive uma visão mais próxima do que vem a ser o xadrez com o programa Rybka ( "pequeno peixe") que , segundo seu criador é feminino.

Para quem nào conhece, Rybka é o mais forte programa para se jogar xadrez da atualidade, longe dos outros como o Fritz11, por exemplo. Quando a gente começa a analisar partidas usando o peixinho, o jogo parece o que era quando a gente estava aprendendo a jogar: pura mágica. Particularmente em posições táticas.

Após uma das rodadas o Wagner Madeira, em cuja casa fiquei durante o torneio, nào parava de falar maravilhas de uma das partidas ganhas pelo Fier. Já em casa ele foi me mostrar a partida no computador e deixou o, isto é, a Rybka analisando os lances enquanto ia me mostrando. O programa imediatamente mostrou os furos de ambos os lados. Todo o entusiasmo do Wagner se desvaneceu apesar de ficar clara a coragem do Fier em arriscar nessas posições.

Ao ver ela manejando posições extremamente perigosas, como se nada estivesse acontecendo, dá pra aprender como se defender. No dia seguinte, meu adversário sacrificou um peão na abertura e eu não tive dúvidas em comer e defender o que era meu, em uma posição em que eu jamais faria isso. E consegui, sem dificuldades.

Estes dias eu li um artigo no site www.chessbase.com sobre uma situação inusitada: um determinado estudo de D. Djaja de 1972 que seres humanos ou computadores não seriam capazes de resolver. O artigo completo pode ser lido aqui. Na época um grupo formado por Keres, os dois Byrnes, Lothar Shimidt, e Hans Donner tentaram resolver durante mais de meia hora e não conseguiram. O diagrama é este:


Jogam as brancas e empatam. (obs: essa posiçào já é uma parte avançada. O estudo completo pode ser visto aqui)

Foi feita uma aposta de que o/a Rybka não conseguiria descobrir o lance chave. O programa descobriu o lance em pouco mais de 28 segundos! E a estratégia para o ganho em 1min e 2 segundos O Fritz 11 também achou a solução em 32 segundos.


Se voce pretende resolver o problema não leia a partir daqui.


Aqui vale uma explicação. O programa simplesmente determina que todos os outros lances perdem e só o lance da solução permite continuar a partida mesmo com uma tremenda desvantagem que é acusada na avaliação (-+ (-4,46) Rybka e -+(-2,93) Deep Fritz11). O empate é por xeque-perpétuo e não podemos esquecer que empate por perpétuo não existe nas regras de xadrez. O que existe são os empates por repetição de diagrama ou a regra dos 50 lances. Enquanto o programa não avançar o suficiente para identificar um desses dois empates ele vai considerar a partida ganha para as negras.

Esse problema, extraído de um livro de Hans Donner, circulou, segundo ele , na Olimpíada de Skopje- 1972 e levou muita gente à loucura tentando resolvê-lo.

Agora, durante o mundial 960 em Mainz o estudo foi apresentado a um grande número de GMs presentes ao evento.

Aronian resolveu rapidamente mas confessou que já conhecia o problema do livro de Donner. E sugeriu que tentassem com Gabriel Sargissian, seu segundo, um super solucionista que consegue resolver estudos instantaneamente. Não conseguiu. E. Nadjer, D. Navarra e D. Fridman tambem tentaram e não conseguiram resolver. Horas mais tarde, depois de despender muito tempo, Fridman apareceu com a solução.

V. Gashmov(2740) e seu irmão S. Gashmov(2351) tambem tentaram mas só o mais fraco deles deu com a solução. Outro que tambem conseguiu foi o superGM Mamedyarov(2715) auxiliado por várias jarras de cerveja e muita dedicação.

E, por fim, Kasparov, de férias no Mediterrâneo, que ligou e disse ter achado a solução em 1 minuto ou 2 "mas somente graças à grande dica incluída na história". Ele racicinou que "se Rybka levou mais de um minuto - uma eternidade - para descobrir a solução em uma posição aberta é porque a soluçào é o xeque-perpétuo. Aí ficou fácil."

Ave, Kasparov.

Um comentário:

lola aronovich disse...

E a gente tem esse programinha super legal em casa?
Essa é a casa do Madeira? Muito bonita! Eu não reconheceria o Madeira sem barba.
Amor, tô morrendo de saudades de vc. Algum dia a gente se encontra entre as nossas viagens?