4 de fev de 2009

III Aberto de Verão - Florianópolis

A ilha encantada

No final de Janeiro recebi um precioso convite para participar do Aberto de verão na linda cidade de Florianópolis. Marcelo Pomar o atual presidente do Clube de Xadrez de Florianópolis foi o autor dessa gentileza.


O clube tem, nos últimos anos, convidado jogadores catarinenses de destaque para participar da inauguração da temporada de xadrez na ilha. Dois anos atrás foi o Fier, ano passado o Alfeu e o Kaiser, este ano eu por ser o atual campeão catarinense.


Na sexta feira teve um torneio de Ping em que dividi a primeira colocação com o André Furlan e Claudionor Pirola. Mas levei o troféu por ter o melhor desempate.


Já no rápido o torneio teve a vitória inconteste do ínclito enxadrista Martim Afonso Palma de Haro, que ao perceber que suas proposições para mudanças no critério de desempate não seriam aceitas a tempo para este torneio resolveu, solerte, precaver-se e venceu todas as suas partidas. Certamente é um defensor radical de suas idéias.

Brincadeiras à parte (quem conhece o Martim Afonso sabe do que falo), foi um prazer enorme reencontrar-me com meu velho amigo e vê-lo em tão boa forma.


Eduardo Lorenzon foi o vice e André Furlan e Willian Wurzius dividiram a terceira colocação, tendo André um melhor desempate.

O resultado final completo pode ser visto no site do CXF.


No domingo com a presença de alguns abnegados (final de férias, sol, praia, nada que estimule ir ao clube jogar xadrez) dei uma pequena palestra, sobre a estratégia a ser utilizada em posiçòes fechadas. E quem nos deu o prazer de sua presença foi Gilson Chrestani, o presidente da Federação Catarinense de Xadrez, também um forte jogador que ajudou, com sua experiência, a ilustrar a palestra que, espero, tenha sido do agrado dos que la estiveram.


Queria destacar que o clube tem um programa de treinamento, através da Academia de Xadrez de Florianópolis, que oferece cursos para crianças, jovens e adultos, desde o básico até o avançado. Vale a pena conhecer.

Essa foi uma das partidas minhas do répido, quando já nao tinha mais chances no torneio e resolvi me divertir um pouco.

3 comentários:

lola aronovich disse...

Uma bela partida, amore. Que bom saber que vc foi MESMO pra Floripa jogar xadrez, não ficar paquerando por aí. Agora, ínclito? Solerte? Deu pra escrever em latim agora? Bem que podia aproveitar e corrigir os erros de digitação como "répido"...

Masegui disse...

Até aqui tem implicância, que coisa!
A propósito, "ínclito, solerte", isso é comida típica de SC ou é coisa de passar no cabelo?

JUSTI disse...

Bons comentarios... continue postando ai Silvio abraços...

JUSTI